AmCham Rio

Empresas que investem em sustentabilidade merecem nosso reconhecimento

Projetos Vencedores

Conheça os projetos vencedores do 12º Prêmio Brasil Ambiental

responsabilidade

Centros de Cultura e Sustentabilidade

Empresa: Engie Brasil Energia

Categoria: Responsabilidade socioambiental

Os Centros de Cultura e Sustentabilidade são uma das principais ações de relacionamento com as comunidades em que a ENGIE Brasil Energia está inserida. Desde 2011, esses espaços vêm contribuindo para o desenvolvimento sustentável de municípios de pequeno porte na região Sul do Brasil – Entre Rios do Sul (RS), Alto Bela Vista (SC), Capivari de Baixo (SC), Concórdia (SC) e Quedas do Iguaçu (PR). O caráter inovador do projeto se dá tanto pelo porte dos municípios em que foi implantado quanto por seu modelo de gestão, no qual a comunidade é capacitada para gerir o Centro, a fim de garantir sua sustentabilidade, independentemente do apoio da Companhia.

Anfiteatro, museu, biblioteca, área para exposições, salas para inclusão digital e também para oficinas compõem a infraestrutura dos Centros de Cultura e Sustentabilidade, cuja construção demandou cerca de R$ 12,9 milhões em investimentos diretos e via incentivo fiscal. Além de oferecer à comunidade atividades recreativas e educativas – envolvendo música, dança, artes cênicas e plásticas, entre outras – os Centros promovem eventos culturais, criando alternativas de entretenimento na própria região.

O projeto, que já recebeu um público de mais de 260 mil pessoas, colabora para o desenvolvimento sustentável das regiões onde existe, promovendo a cultura como um fator de transformação social. Sua autonomia confere aos empreendimentos a perspectiva da sustentabilidade em todas as suas vertentes: de governança, autossustentação, inclusão social e respeito ao meio ambiente, desde sua concepção arquitetônica e construtiva.


ecossistemas

Programa “Água Limpa, Crianças Saudáveis” – Melhorando o Meio Ambiente e a saúde de crianças de Carolina, Maranhão, com maior acesso à água potável

Empresa: Engie

Categoria: Ecossistemas

A Engie Brasil, por meio de sua subsidiária brasileira, Engie Brasil Energia, representada no Consórcio Estreito de Energia (CESTE) desenvolveu a “Usina Hidrelétrica Estreito (UHE)”, um dos maiores projetos hidrelétricos já desenvolvidos na região norte do Brasil, e também em uma das mais pobres: o Maranhão. O programa “Água limpa, crianças saudáveis”, uma parceria da empresa com a organização sem fins lucrativos INMED Brasil, a Fundação Engie, CESTE e Engie Geração de Energia (ex Tractebel Energia), tem como objetivo melhorar a saúde das crianças das áreas rurais do município de Carolina/MA.

O foco principal do programa é a educação comunitária em prevenção e proteção das nascentes em áreas rurais. Seus principais componentes são: higiene e educação ambiental; treinamento para utilização correta do kit de análise da qualidade da água; mapeamento e proteção das nascentes dos rios; conservação local e reflorestamento e visitas educativas de campo.
Entre os principais resultados estão a melhora na qualidade de vida da população, por meio do acesso à água de qualidade e hábitos de higiene mais adequados; mapeamento e consequente proteção das nascentes.


inovacao

Usina solar fotovoltaica Cidade Azul

Empresa: Engie Brasil Energia

Categoria: Inovação

A Engie Brasil Energia, alinhada aos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) capitaneado pela Organização das Nações Unidas (ONU), desenvolve em parceria com a Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e outras 11 empresas do setor elétrico, um projeto de estudo da geração de energia solar fotovoltaica, com foco no fomento à pesquisa e ao desenvolvimento de tecnologias, a qual uma das frentes é a Usina Solar Fotovoltaica Cidade Azul (USCA).

Inaugurada em 2014, representa a maior usina solar fotovoltaica experimental em funcionamento no país, tem capacidade instalada de 3 MWp (pico de incidência do Sol) e é composta por 19.424 módulos solares. Está localizada em Tubarão (SC), anexa ao Complexo Termelétrico Jorge Lacerda, também operado pela empresa.

Na Cidade Azul, são monitorados, principalmente, dois aspectos: as diferentes tecnologias fotovoltaicas comercialmente disponíveis e a topologia elétrica para construção de uma usina, incluindo os modelos e carregamento dos inversores. A USCA gerou cerca de 6.750 MWh de energia em dois anos de operação. Além disso, possui capacidade para abastecer cerca de 1,5 mil residências com consumo médio aproximado de 200kWh/mês.


residuos

Sistema Campo Limpo: a logística reversa brasileira das embalagens vazias de defensivos agrícolas

Empresa: Instituto Nacional de Processamento de Embalagens Vazias – inpEV

Categoria: Resíduos sólidos

O inpEV, Instituto Nacional de Processamento de Embalagens Vazias, formado por mais de 100 empresas fabricantes de defensivos e nove entidades representativas do setor agrícola realiza a gestão operacional da logística reversa das embalagens do produto e promove ações de conscientização e educação. O Instituto é o núcleo de inteligência do Sistema Campo Limpo, que há 15 anos realiza a destinação ambientalmente correta das embalagens pós-consumo de defensivos agrícolas e tornou-se um dos maiores programas de logística reversa de resíduos sólidos do Brasil.

O Sistema envolve distribuidores e cooperativas, órgãos do governo e cerca de 1,4 milhão de agricultores (segundo dados do IBGE). Além do Programa de Educação Ambiental Campo Limpo, que, por meio de parcerias com as secretarias municipais e estaduais de educação, oferece complementação ao currículo dos estudantes do 4º e 5º anos do Ensino Fundamental por meio de conteúdos relacionados ao meio ambiente.

Levando em conta todo o ciclo de vida das embalagens, (da extração das matérias-primas à reciclagem ou incineração), de 2002 a 2015, o Sistema permitiu uma redução no consumo de energia que abasteceria aproximadamente 1,9 milhão de casas em um ano; evitou a emissão de 514 mil toneladas de CO2 equivalente e evitou a geração de um volume de resíduos sólidos equivalente ao que seria gerado em nove anos por uma cidade de 500 mil habitantes.


emissoes

Dow e Rio 2016 deixam um legado de carbono inédito para o Brasil

Empresa: Dow Brasil Indústria e Comércio de Produtos Químicos Ltda

Categoria: Emissões atmosféricas

A Dow Brasil, subsidiária da The Dow Chemical Company, possui como uma de suas Metas de Sustentabilidade de longo prazo a diminuição dos impactos socioambientais causados pelos Jogos Olímpicos – por meio da parceria, desde 1980, com o Comitê Olímpico Internacional no fornecimento de tecnologia e expertise para auxiliar cidades-sede e comitês organizadores na realização de Jogos mais sustentáveis e de alta performance.

Para a Olimpíada Rio 2016 e Sochi 2014, a Dow Brasil implantou programas de mitigação de emissões de carbono, auxiliando os organizadores na importante tarefa de entregar eventos com impacto climático reduzido. Um conjunto de cinco projetos foi implementado entre 2014 e 2016 no Brasil e outros países da América Latina (Argentina, Colômbia, Guatemala e México). Além da integração ao programa oficial Abraça Sustentabilidade do Comitê Organizador Rio 2016. Essas iniciativas consistem em parcerias com clientes em áreas de embalagens para alimentos, produção de energia por fontes renováveis, programas de agricultura e pecuária com produtores de Mato Grosso e a difusão do uso de sistemas construtivos com painéis de isolamento térmico na construção civil.

Como resultado, as reduções geradas pelo programa de mitigação implementado pela empresa vão alcançar 500 mil toneladas de CO2 equivalente (CO2e) – superando o total de emissões estimadas pelo Comitê Organizador nas atividades diretas de organização e entrega do evento – 470 mil toneladas de CO2e. Juntos, a Dow e a Rio 2016 também têm o objetivo de gerar benefícios climáticos adicionais de 1,5 milhão de tCO2e até 2026, destinados a outras emissões ligadas aos Jogos – como àquelas resultantes das viagens dos espectadores para o Rio de Janeiro.